Como os personagens da Bíblia, aparece no Corão | Superinteressante

(bocko/iStock)

O anjo Gabriel se aproximou da Virgem Maria para anunciar a boa notícia do nascimento de Cristo, e revelou-lhe: Deus te anuncia o seu verbo, cujo nome será o Messias, Jesus, filho de Maria, nobre neste mundo e no outro.”

O jovem, surpreso, perguntou ao mensageiro divino: “Como poderei ter um filho se nenhum homem me tocou? Disse o anjo: assim será. Deus cria o que ele quer e quando ele decreta algo, basta dizer: “ser”.

Ele não foi para o “nome de Deus”, a passagem acima pode estar na Bíblia. Mas ela é parte do Corão, o livro sagrado dos muçulmanos.

Pode causar estranheza que vários versículos do Corão que tratam das figuras centrais da fé cristã. Judeus e cristãos: Adão, Moisés, e outros heróis bíblicos são descritos em várias passagens corânicas.

Algumas das histórias tem detalhes que são dramáticos que não estão no Antigo Testamento: nem todos os filhos de Noah (Noé, em árabe) pode entrar na Arca. Um deles foi punida por Deus com a morte do grande dilúvio.

De acordo com a tradição islâmica, a saga dos muçulmanos começa precisamente com o que os judeus têm um patriarca: Abraão (Ibrahim na versão árabe). Deus teria revelado um livro sagrado para Ibrahim (como aconteceria séculos depois com Muhammad para ditar-lhe o Alcorão).

Mas este livro poderia ter sido perdido. O alcorão, então, seria a restauração do velho livro, e o Islã, um retorno ao primordial religião abraâmica. “Abraão não era um judeu, ele foi, sim, um monoteísta, muçulmano, e nunca se contou entre os idólatras”, diz um verso do alcorão.

Outra discordância é a negação de que Cristo é uma encarnação divina na Terra. “Jesus Cristo era uma criatura”, diz o sheikh Muhammad Ragip, da ordem sufi Halveti Jerrahi, em São Paulo.

“Cada profeta, e Cristo é um profeta do Islã expressa as qualidades específicas de Deus, o Ser infinito. A principal qualidade de Cristo era para ser muito puro. Era um espelho perfeito da natureza divina”, completa.

A inclusão de personagens da Bíblia, o Corão não é acidental, é claro. O islã surgiu no século 7, mais de mil anos depois que os livros que compõem o Antigo Testamento tinham ganhou sua forma definitiva, e mais de 600 anos após a composição dos textos do Novo Testamento, que dão a base para o cristianismo. O islã é uma mistura entre tradições tribais árabes unidos, o judaísmo e o cristianismo. Veja abaixo um pouco do que a mistura de religião.

 

Abrãao
Abraão

ABRAÃO

O coração da história de Abraão na Bíblia é quando Deus lhe pede para sacrificar o seu próprio filho. No Corão, também. O filho oferecido no texto judaico é o Isaac, que ele tinha com Sara, sua esposa. Na versão islâmica filho para ser sacrificado é outro, a Ismael, a quem ele tinha com sua escrava Agar. A narrativa islâmica diz que os judeus são os descendentes de Isaque e árabes de Ismael.

O que o alcorão diz: Abraão foi de 85 anos de idade e não tinha filhos. Sua esposa Sara, já sem esperança de gerar uma criança, entregue a seu marido, a egípcia Agar, que ela iria dar a ele um descendente. Assim nasceu Ismael. Quando o menino atingiu a adolescência, Deus impôs um teste de Abraão: sacrificar o filho preferido.

“Filho meu, sonhei que você degolava; que opinas?”, perguntou o velho. Disseram a Ismael: “Meu pai, faze o que te foi ordenado!” Quando ambos aceitaram o desígnio divino, e Abraão preparou o filho para o sacrifício, o Senhor chamou-o: “Abraão, já realizaste a visão! Em verdade, assim recompensamos os benfeitores. Certamente que esta foi a verdadeira prova.” Depois de testar a sinceridade de Abraão, Deus anunciou que ele seria o patriarca de duas grandes nações. Um deles você seria a próxima e descenderia de seu segundo filho, Isaque, a quem Sara, com a idade de 90 anos, deu à luz.

As outras pessoas descenderia de Ismael, e ele estaria distante. Mais tarde, Deus enviou Agar distância com Ismael para o deserto da Arábia, para uma cidade chamada Meca. Lá, ela e a criança quase morreu de sede, até que, milagrosamente, testemunhou o nascimento de uma fonte de água, chamado Zamzam. Depois disso, Abraão visitou o ex-escravo e o filho muitas vezes. Em Meca, construiu a Caaba, o templo que iria se tornar o epicentro do Islã (nota do editor: nós não sabemos a origem histórica da Caaba; a hipótese mais aceita é que ele é um templo construído por tribos árabes no local da queda de um meteorito – com o advento do islã, no século 7, o culto da caaba seguido respeitado).

Moisés
Moisés

MOISÉS

O corão diz que, com medo de ver o filho morto, a mãe de Moisés abandonado em um cesto nas margens do Nilo. Salvo pela esposa do faraó do Egito, israel foi criado no tribunal. Depois de matar um homem, fugiram para a região de Midiã, na península arábica, onde ele se casou e viveu por algum tempo, até que você decida para libertar seu povo da escravidão no Egito. Aqueles que conhecem a Bíblia sabem: que é exatamente o que está no livro sagrado dos cristãos, incluindo a menção de uma terra, na atual Arábia saudita.

O que o alcorão diz: “um dia ele disse à sua família: “eu vi o fogo, vai trazer-lhe notícias dele, ou vai trazê-lo para fora brasa, para acenderdes um fogo que você vai aquecer.” Quando, no entanto, aproximou-se de sarças, ele ouviu uma voz: “eu sou Deus, o Poderoso, o Prudentíssimo.” Moisés pensou em correr, mas Deus o repreendeu: “Não temas, porque os mensageiros não devem temer a Minha presença.” Então Moisés recebeu o título de Kalimullah, aquele que fala com Deus diretamente, sem a intermediação dos anjos.

Adão e Eva 2
Adão e Eva 2

ADÃO E EVA

Assim como a Bíblia, o alcorão diz que Adão foi criado do barro. Mas quando se trata do episódio da tentação por Satanás, as narrativas são divergentes. De acordo com o livro sagrado dos muçulmanos, Adão e Eva juntos comeram o fruto proibido. Este ato, no entanto, não é visto no Islã como um pecado, mas como parte natural da busca humana por conhecimento, representado pela fruta. “Com essa experiência, Adão e Eva perderam sua pureza primordial, mas eles tem o discernimento que permite que o ser humano escolher entre a virtude e o pecado”, diz o sheikh Muhammad Ragip. Ao nascer, cada ser humano repete em seu microcosmo, de acordo com a doutrina islâmica, a história de Adão e Eva.

O que o Alcorão diz: “a Partir de barro criarei um homem”, disse Deus. “Quando eu tiver em forma e alentado com o Meus Espírito, prostrai-vos ante ele”, ele ordenou que os anjos, que ficou por unanimidade. Uma única criatura, angélica, no entanto, não curvou-se perante o homem criado, foi Adão. Seu nome era Lúcifer. Ele foi exaltado, e a partir de então passou a contar entre os incrédulos. Foi Lúcifer, chamado Satanás, que tentou Adão, sussurrando-lhe: “Adão, você me quer para introduzir a árvore da eternidade e do reino eterno?” Adão e Eva comeram o fruto da árvore. A sua “vergonha”, em seguida, eles foram criados, e começaram a cobrir os seus corpos com folhas de plantas do Paraíso. Adão desobedeceu ao seu Senhor e deixar-se seduzir. Mas logo o Senhor o absolveu.

aligncenter size-full wp-image-15375″ src=”http://localhost/bt/wp-content/uploads/2018/09/davi-e-golias.png” alt=”Davi e Golias” width=”1024″ height=”853″ /> Davi e Golias

DAVID

Na tradição judaica, o rei Davi é um personagem dúbio. Ele é um estrategista militar e brilhante político que levou Israel ao seu auge, consolidado pelo rei Salomão, seu filho e sucessor. Por outro lado, aparece retratado como um homem promíscu, e que faz com que o abuso de poder. No Corão, no entanto, David é um homem sem defeito – é mais ou menos como um santo do cristianismo.

O que o alcorão diz: Muhammad teria chocado ao ler as passagens bíblicas que denegriam o rei de Israel. No Corão, essas passagens aparecem como o trabalho dos escribas malicioso, que teriam alterado os textos “originais”, mais amigável para o pai de Salomão: “Ai daqueles que copiam o Livro [a Bíblia], alterando-o com suas mãos, para negociá-lo por um preço nominal. Ai deles, pelo que as suas mãos escreveram! E ai deles, pelo que lucraram!”

Jesus e Maria
Jesus Maria

JESUS E MARIA

Maria ocupa o topo da hierarquia espiritual das mulheres no Islã. Jesus, muitas vezes chamado de “Espírito de Santidade”, tem também um papel de destaque no alcorão. A tradição islâmica diz que o nazereno irá retornar no fim dos tempos para criar um reino de paz na Terra, até o dia do Juízo Final.

O que o alcorão diz: A dor do parto constrangiam Maria, e ela se retirou para um lugar isolado. Sozinho, ele buscou refúgio junto a uma tamareira. Ele disse: “eu desejo que eu tivesse morrido antes disto, ficando completamente esquecida.” Uma voz, no entanto, chamou-lhe: “não te atormentes, porque teu Senhor fez correr abaixo de seus pés um fluxo. E para agitar o tronco da palmeira, onde ela fará cair sobre ti tâmaras maduras e frescas.” Desta forma, ela encontrou de alimentos e de água e pode dar a luz ao Messias, chamado de “Jesus, filho de Maria.” Deus disse a Virgem: “Ele (Jesus) vai ensinar a você como escrever, a sabedoria, o Torá e o Evangelho. E um mensageiro para os israelitas.”

Com o beneplácito de Allah, Jesus apresentou uma série de sinais ao seu povo, e disse: “Eis que plasmarei de barro a figura de um pássaro, no qual você explodir, e a figura vai se transformar em um pássaro, curarei o cego de nascença e o leproso; ressuscitarei os mortos, pela vontade de Allah, e vos revelarei o que consumis e entesourais em vossas casas. Eu vim) para confirmar-vos a Tora, que vos chegou antes de mim, e para liberar-vos algo que eu estava selado. Eu vim com um sinal do vosso Senhor. Temei a Deus, e obedecei-me. Sabei que Deus é meu senhor e vosso senhor. Adorai-O. Esta é a senda reta.” Em face da descrença entre o seu povo, Jesus encontrou apoio em discípulos, que disse: “Nós seremos os colaboradores, porque cremos em Deus; e testemunhamos que somos muçulmanos”.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*